1.02 – Life is Strange

Mais um jogo zerado. Mais um momento de reflexão sobre a vida e tudo o que fiz e escolhi. Mas o que ambos tem em comum? Simples, Life IS Strange! (a vida é estranha em uma tradução simples). Jogo da Dontnod, publicado pela Square Enix e feito em capítulos (semelhantes aos jogos da TellTale Games), Life is Strange te coloca na pele de Max, adolescente que acabou de entrar na universidade (voltando a morar em sua antiga cidade) e em um momento descobre que possuí um poder único, como pode ser observado no trailer abaixo:

Sim, você pode voltar no tempo! Quem assistiu Efeito Borboleta (e sim, aquela borboleta azul não está ali atoa… ela remete à teoria do caos) já sabem as consequências de alterar a realidade, ainda mais por motivos egoístas. E para quem assistiu ou não, o gameplay de LiS (Life is Strange) irá mostrar de maneira inédita todas as decisões (e angústias) que alguém pode passar, muitas das quais irá questionar a moral do jogador.

A drama começa quando Max, ao  sair da aula de fotografia e ir ao banheiro, se depara com uma cena um tanto estranha: um colega de faculdade no banheiro feminino, falando sozinho e com uma arma. Não bastasse isso, Cloe (amiga de infância de Max) entra no banheiro, discute com o cara e é baleada. Nesse momento a Mad Max ativa seu poder involuntariamente. E começa a perceber que pode usar seu poder para alterar os fatos. Seja conversando com pessoas para então voltar no tempo e conversar de forma melhor com elas, seja para resolver “puzzles” em que voltar no tempo é essencial para acessar certos lugares.

Os nomes dos episódios são:
OBS: Todos as músicas estão anexadas às respectivas músicas no jogo. Podendo ou não ser SPOILER.

Episode 1 – Chrysalis

Episode 2 – Out of time

Episode 3 – Chaos theory

  • Referência direta à teoria do caos. Aonde sistemas são altamente sensíveis às condições iniciais (eu como engenheiro mecânico, conheço sistemas que se você mudar o x0 em 0.00000001 metros você obtém um resultado totalmente diferente… mas coisas que não interessa agora.)
  • “Dude, it’s getting old! Try and dazzle me with another trick!” – Chloe
  • Lisa pode morrer… (a planta)
  • Músicas:

Episode 4 – Dark room

  • Dark room (sala escura) pode ser uma sala usada para desenvolver fotografias sensíveis à luz.
  • Dark room (sala escura) também pode ser uma sala de clubs aonde acontece atos sexuais.
  • No final dos créditos, aparece “Thanks for crying!” (Obrigado por chorar!) ao invés de “Thanks for playing!” (Obrigado por jogar!).
  • Músicas:

Episode 5 – Polarized

  • Polarized (polarizado) é de que algo tem 2 termos opostos. No caso do episódio, se reflete na última escolha!
  • Polarized também pode se referir à um filtro fotográfico que refina a luz (aumentando o contraste e reduzindo distrações como brilho intenso). (Max refinando seus pensamento sobre seu poder).
  • O episódio foi lançado no dia 20/10/2015, alguém reconhece essa data (ou o dia perto dela)? Marty MacFly é a dica!
  • Músicas:

Obs.: Músicas sem links é pq já repetiram.

Esses são só alguns fatos e curiosidades. Além das músicas que compõe alguns momentos épicos do jogo (valendo a pena baixar a trilha sonora e manter ela no seu pendrive para eventuais problemas temporais).

Sobre os personagens, são muito bem construídos, possuindo personalidades diversas e próprias. Eu mesmo tentei fazer amizade com a guria do “aviãozinho” mas ela simplesmente me cortava. Você tem total liberdade para conversar e conhecer a galera da sua turma, além de ter um background incrível no seu Diário.

maxresdefault11

Outro ponto legal do jogo são as fotos. São 10 fotos por episódios, que variam de situações bizarras a momentos únicos que podem ser fotografados pela Max. Cada uma dá uma conquista na Steam. O jogo é fácil de se “platinar”, basta explorar bem o mapa, mexer nos objetos e ficar atento quando aparecer o sinal para voltar no tempo.

No mais, é uma obra de arte que deve ser jogada. Emocionante tão quanto como Walking Dead – Season 1 (Telltale Games). Com gráficos legais, personagens que você irá amar e odiar, uma drama não linear aonde você possivelmente apontará dedos e culpará pessoas (e se arrependerá por tal fato). O tempo de jogo vai de 2-4 horas por episódio, e eu mesmo totalizei 17 horas no total. Fica aqui minha dica desta obra e alguns vídeos que indico ver:

(Para o caso de não ter clicado em nenhuma música)

(Análise do Tio Zangado sobre o jogo)

(Trailer Honesto de Life is Strange)

life_is_strange___selfie_by_xmasterofunlockingx-d8gs3v2
Chlore Linda 😀
Anúncios

Publicado por

newtonwsl6

65% goiano, 31% mineiro e 4% paulista. Engenheiro mecânico recém formado pela UFU em plena crise política e economia brasileira. Nerd nível médio pegando grau em avançado, desenhista, leitor, gamer, cinéfilo e apaixonado por heróis (ou seria vilões?).

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s